Da Medicina Dentária





Ora bem, hoje apetece-me falar-vos de uma das minhas grandes e senão a maior paixão...a minha futura profissão.

Pois é, já estou (finalmente) a acabar o curso e o entusiasmo de entrar no mercado de trabalho cada vez é maior!

Eu sei, eu sei que as coisas não estão fáceis, mas sou uma daquelas pessoas que pensam que sem esforço nada se alcança e o meu percurso nestes últimos 6 anos tem vindo a provar um pouco isso.

Vou contar-vos um pouco do meu percurso académico, iniciei o Mestrado Integrado em Medicina Dentária em 2010, achando eu que isto se fazia com uma perna às costas tipo secundário. Ora pois, logo no 1º ano enganei-me e levei um belo de um banho de água fria quando infelizmente me apercebi que havia chumbado um ano.

Ora eu, que sempre fui boa aluna, de quadro de honra, cheguei à faculdade com a postura menos humilde da vida ''vou andar por aqui, aprendo umas coisas e passo''. Errado Beatriz, muiiitoooo errado.

No ano seguinte, fiz as cadeiras que faltavam para aprovar (isto porque o curso como a maioria funciona por créditos e eu não tinha feito os suficientes para aprovar no primeiro ano), e ficou fechado o assunto. Bem, mais ou menos porque a Bioquímica I andou meio pendurada até certa altura mas isso é outra conversa.

Para vocês terem noção, os dois primeiros anos de curso são muito semelhantes ao de Medicina, em que as cadeiras são realmente de medicina generalista, desde Anatomia, Biologia Celular, Patologia, etc...

Mais dois anos se passaram e dei por mim no 3º ano, o ano de pré-clínico. Foi aqui, neste ano, que tudo se decidiu, foi aqui que me apercebi (talvez tarde demais mas também não importa) que era realmente isto que queria para a minha vida. Dar sorrisos, ajudar as pessoas e ainda poder prevenir futuros problemas.

Depois do 4º ano ter passado, e de ter começado o mestrado propriamente dito na Clínica da faculdade, só vos posso dizer que conviver com os pacientes e ouvi-los é das melhores coisas que há.

Sou uma daquelas pessoas que pergunta tudo ao paciente, se tem filhos, netos, bisnetos, o que faz ou fez...tudo! Sou uma dentista muito cusca confesso, mas acreditem que é a melhor forma de pôr o paciente à vontade e criar uma empatia para que na semana seguinte ele volte, pois foi bem tratado e sentiu que alguém o ouviu.

5º ano, as sensações são muitas. Tese, casos clínicos e melhorar o trabalho. Sim porque se pensam que no dia-a-dia podemos fazer restaurações em tanto tempo como no ano anterior, enganam-se. E este é o ano para treinar a ''mão'', por assim dizer. Para aprendermos mais e melhor.

Estou tão entusiasmada! A minha área favorita é a Dentisteria sem qualquer dúvida. Gosto imenso de um bom antes e depois.

Conciliar tudo isto com o blog por vezes não é fácil, até porque moro perto da faculdade e os fins-de-semana são curtos para tantas coisas.

Conheço algumas bloggers que estudam Medicina Dentária também e gostava muito de ouvir a opinião delas.

Se há por aí leitoras prestes a entrar no mundo académico e a considerar este curso, prometo-vos que não se vão arrepender, vão ter muitos altos e muitos baixos mas o resultado final,será decerto gratificante.

Na Medicina Dentária, construímos sorrisos, damos asas à nossa criatividade e acima de tudo, devolvemos qualidade de vida aos pacientes que se sentem mais inibidos ou em baixo por causa do seu estado de saúde oral.

1 comentário:

  1. Sabes que em cada post que fazias aqui no blog sobre a faculdade e o teu curso ( por mais pequena que fosse ) notava-se que gostavas imenso do teu curso, eu estou a apaixonar-me imenso pelo curso de terapia da fala, também na Egas Moniz, estou tão entusiasmada só com a ideia de ir para a faculdade ( pensamento positivo ! ). Espero um dia conseguir ter tanta paixão pelo meu curso como tu tens pelo teu

    ResponderEliminar