Alentejo: a love affair



Férias em Portugal também são férias...viajar pelo mundo é sem dúvida uma experiência enriquecedora, é talvez uma das minhas coisas favoritas.

Mas sou também apologista do já velhinho ''vá p'ra fora cá dentro'' e não há nada como pegar no carro e fazer uma bela de uma roadtrip sem rumo. 

Estas férias pelo Alentejo foram um bocadinho assim, não tínhamos nada definido, nem hotéis marcados, foi chegar e partir à aventura. 




REGUENGOS DE MONSARAZ

Reguengos é literalmente a ''terra do vinho'', querem bons vinhos alentejanos, é só ir lá. Há imensas opções a escolher para fazer a rota dos vinhos, bem característica da zona, no entanto, sendo esta altura época de vindima, é complicado conseguir alguém nas adegas para mostrar ''os cantos à casa''.

Onde ficar?

Em Reguengos ficámos num hotel bem simpático, o Solar de Alqueva, um hotel recente, com cerca de 5 anos, bem localizado e super bem frequentado. O hotel em si não é muito grande, mas é muito limpo, arejado e cheio de luz. Tem ainda uma piscina óptima para dar uns bons mergulhos e os quartos são enormes.

Depois de termos passado a primeira noite em Alcácer do Sal, e já a pensar trocar de hotel depois de dois dias no Solar, acabámos por ficar e fazer as deslocações até às restantes localidades durante o dia.

Onde jantar?

Os nossos almoços eram super leves, recorríamos às sandes e aos picnics nas margens do Alqueva, com o calor que se fazia sentir, nem havia vontade para mais.
No entanto, os jantares já pediam algo mais tradicional, descobrimos o restaurante Aloendro (bem perto do hotel) e ficámos in love!

Nunca tinha comido um gaspacho tão bom e o bolo rançoso (não tinha nada de ranço, era um bolo de amêndoa fabuloso) era de chorar!

O que visitar?

Reguengos não é propriamente rica em monumentos, mas tem algumas coisinhas dignas de se ver, como a Herdade Esporão, a igreja Matriz que infelizmente está a cair por dentro e também algumas adegas.






 Outros dias foram passados a conhecer Mourão e Monsaraz, a cerca de 15km de Reguengos.


MONSARAZ

Onde ficar?

Em Monsaraz têm várias opções de alojamento como casas dentro do castelo ou a famosa pousada, como referi em cima, optámos por ficar no hotel em Reguengos, o que nos poupou algum trabalho na pesquisa de mais hotéis e sítios para ficar porque isto de partir sem destino tem muito que se lhe diga quando começamos a ver os hotéis cheios e os preços estupidamente altos.

Onde jantar?

Nos dias que passámos mais tempo em Monsaraz, experimentámos dois restaurantes, a Taverna ''Os Templários'' e o Restaurante Xarez. Ambos têm uma vista fabulosa do castelo, podemos ver o pôr-do-sol enquanto apreciamos um gin.
No restaurante Xarez, desiludiu-me a pouca variedade no menu, acabei por experimentar a tarte de lebre que pessoalmente não achei nada de especial, mas valeu pelo final de tarde super bem passado.

O que visitar?

Em Monsaraz, visitámos muito mais coisas, fomos ao castelo e a algumas ermidas que estavam ali em volta, ainda vimos a fonte do Telheiro e a conhecida Aldeia da Luz, a aldeia que foi ''deslocada'' devido à necessidade de ocupar o local onde esta se encontrava com mais água para a Barragem do Alqueva.
A antiga aldeia ficou totalmente submersa, mas foi construída uma nova de raiz, a poucos quilómetros da antiga para que as pessoas pudessem ser realojadas.
Ainda na Aldeia da Luz, visitámos o museu onde todo este processo de mudança está documentado, bem como uma exposição de fotografias do espaço e fenómenos observados no Alentejo.





Sem dúvida que o Alentejo é apaixonante e eu ainda aproveitei o penúltimo fim-de-semana de férias para ir a Évora ter com uma amiga e aproveitar algumas festas e o bom tempo.

Ficam para recordação as fotografias e as memórias de umas férias fabulosas, bem aqui, no nosso país.

1 comentário: